Por Nuno “Stuntman” Tavares

O Airsoft Summit, organizado pela ANA-APD, teve lugar nos passados dias 17 e 18 de Junho, no Fórum Luís de Camões, na Brandoa, Amadora. No pavilhão cedido pela Junta de freguesia da Encosta do Sol, os preparativos para as montagens dos stands, iniciaram-se no dia 16 de Junho.

Após convites personalizados a todas as APD, lojas/armeiros e clubes ANA (uma vez que não tínhamos as listagens de clubes de outras APD), foi publicitado online de forma regular.

Disseram presente:

Foi preparado um programa onde a maioria dos temas centrava-se obviamente no Airsoft. Foram ainda organizados dois torneios de Airsoft: Pista de destreza, rapidez e precisão contra alvos e uma Prova de Sniper.

Nas palestras, o Airsoft Summit iniciou-se com a presença de agentes da DAER da PSP. O Comissário Pereira e o Chefe Mateus discursaram perante uma boa plateia de praticantes, ávidos de informação legal sobre o Airsoft.

Podem ver os vídeos desta palestra aqui (primeira parte) e aqui (segunda parte).

Seguiu-se o momento em que o Holandês Joachim Dekkers, presidente da European Airsoft Association, contou perante os presentes toda a luta que tiveram para, a uma só voz e em união, conseguirem mudar a lei na Holanda, ficando o Airsoft – que era então proibido – legal para se poder praticar.

Podem ver o vídeo desta palestra aqui.

Vindo de Braga e em representação da ADAPT-APD, o Paulo Fragata, reconhecido jogador de Airsoft na vertente reenactment, mostrou um pouco da sua história, dos problemas que enfrentou para tentar fazer um “boneco” o mais fidedigno.

Pelo início da tarde, começou o torneio de Airsoft, onde os alvos foram o principal adversário. Os participantes começavam logo com prova de esforço, fazendo umas flexões e agachamentos, dando a entender logo aí que a pontaria e rapidez já não eram as mesmas quando estavam em descanso. Para complicar, transportar um pesado boneco e continuar a disparar aos alvos, não ajudava.

Para finalizar o primeiro dia, o Alexandre Bowman e o Carlos “Nhetas” Louro deram um workshop sobre a vertente de Sniper.

No segundo dia do Airsoft Summit, o Tiago “Tape” Elias falou perante os presentes sobre cuidados a ter nas nossas armas de jogo, onde perguntas com muitas dúvidas forma surgindo. E foram mais de que muitas.

Seguiu-se o workshop de Trauma Militar, ministrado por Pedro Caldeira e José Corvo, que contou com uma parte teórica e uma parte prática. Foram dados conselhos sobre como agirmos perante lesões que possam ocorrer no decorrer dos nossos jogos. Como existiu uma parte prática, o workshop de segurança foi suprimido, embora colmatado pelo workshop de Trauma militar.

Ao início da tarde novo torneio de Airsoft, desta feita para os Snipers. Foi um torneio renhido, onde a calma e a pontaria foram os pontos fortes.

O Airsoft Summit acabou com um grande workshop da equipa BESTA, que se debruçou sobre a vertente CQB em Airsoft. Uma vez mais, e perante uma boa plateia, deram o seu contributo e os seus ensinamentos sobre essa vertente.

O Airsoft summit teve não só a presença de muitos praticantes de Airsoft, mas também de pessoas não praticantes, que tiveram curiosidade em ver o Airsoft. A organização estimou que, nos dois dias do Airsoft Summit, passaram pelo Fórum Luís Camões cerca de 300 visitantes.

Anúncios