Por Miguel Baião

A Op. Artemus II realizou-se no passado dia 30 de Abril. Foi um jogo com características MilSim, com a duração de sensivelmente 8 horas, e com um grande foco em movimentações em mato de pequenas equipas.

A primeira edição da OP. Artemus foi desenhada para binómios, e decorreu durante a noite. Para esta segunda edição, e devido ao número de participantes, as patrulhas foram de 3 elementos e o jogo arrancou durante o dia, tendo terminando já de noite, o que aumentou consideravelmente o grau de dificuldade, dando assim às 5 equipas presentes mais um fator a ter em conta.

Este jogo decorreu no Monte Escuro, um terreno com cerca de 10 km2, com mato bastante fechado e desníveis pronunciados, o que só por si já deixava antever que o grau de exigência física imposto a todos os participantes seria elevado.

As 5 equipas foram recebendo diversas missões dadas pelo Comando Central, que eram tão variadas quanto reconhecer diversos pontos de interesse no terreno, atacar ou defender determinados objetivos ou efetuar uma troca com um VIP.

Para o cumprimento das missões eram formadas “alianças” entre as várias equipas em jogo o que deu azo a combates intensos pelo sucesso das missões atribuídas.

O jogo foi controlado pelo Comando Central, que também participou em algumas missões, não só para que todos recebessem os diferentes tipos de missões, mas também para garantir que havia alguns momentos de jogo mais “lentos”, a carregar baterias para as missões seguintes.

Em suma, foi para muitos o primeiro contato com um jogo de vertente Milsim mais vincada, e que abriu o apetite para o AntiCiclone Vermelho, jogo MilSim com duração de 3 dias, a realizar em Agosto na ilha de São Miguel, naquela que será a sua sexta edição.

Anúncios