Por Telmo Fonseca

Considera-se “cano de precisão” qualquer cano interno com diâmetro igual ou inferior a 6,05 milímetros, e o que não faltam são opções à venda no mercado, pelo que nem sempre é fácil escolher o mais acertado. Por isso, decidimos trazer para esta edição um comparativo dos mais comuns, para que possas fazer a escolha mais acertada.

cano

Graças ao seu diâmetro menor, um cano de precisão permite que a BB “saltite” menos ao longo do percurso desde que sai da câmara de hop-up até à boca da arma. Conseguem-se dessa forma fazer melhores agrupamentos. Se juntarmos ainda o facto de existir menos desperdício de ar, que ao não ter lugar para passar, concentra-se todo na traseira da BB, e transfere assim uma maior potência ao tiro sem qualquer alteração mecânica, chegamos à conclusão que a instalação um cano de precisão é uma excelente opção para quem pretende melhorar consideravelmente a prestação da sua arma. Como “senão”, devo apenas realçar o facto de estes carecerem de maior manutenção e BB’s de qualidade superior.

Metodologia do teste

Para a análise em questão, foi utilizada uma ICS M4 Proline totalmente customizada com internos de qualidade superior, de forma a garantir a inexistência que qualquer fuga de ar até à BB, e obtendo assim a consistência de tiro mais perfeita possível de atingir numa ICS. A arma foi ancorada firmemente a uma mesa, foi retirado todo o efeito de hop-up, e o alvo foi colocado a uma distância precisa de 20 metros. Para o alvo foram utilizadas comuns folhas de dimensão A4.

img_1533

As BB’s utilizadas para o tiro ao alvo foram G&G P.S.B.P. 5.95 com 0.25 gramas, de gramagem maior que o habitual, de forma a garantir maior consistência de tiro, sendo que para medir os FPS utilizou-se BB’s da mesma marca, mas com 0.20 gramas, facilitando assim os cálculos de potência. Foram efetuados 5 tiros seguidos ao alvo estacionário, procedeu-se à troca de cano, e assim consequentemente até todos serem testados. As médias de FPS foram obtidas através de 10 disparos a um chrony Madbull, somando todos os valores obtidos, e dividindo por 10. Já em relação à variação de FPS, esta foi obtida pela diferença entre o valor mais alto e o valor mais baixo registrado na dezena de disparos registrados.

img_1539

Os canos foram gentilmente cedidos pela loja Combate Virtual, todos eles selados nas suas embalagens originais, e montados diretamente na mesma câmara de hop-up, uma original da ICS, utilizando ainda o mesmo hop bucking para todo o teste, um Guarder em silicone de dureza 50º. O comprimento dos canos utilizados rondou os 363 mm, a medida média de um cano adaptado ao modelo M4-A1.

Diâmetro de dispersão

O vencedor absoluto foi o cano mais estreito do conjunto, o Madbull 6.01, registando uns impressionantes 7,3 cm de dispersão. Por sinal, este até era o cano que já equipava a arma em questão muito antes do teste, e do qual eu só posso falar bem, pelas suas soberbas prestações. Talvez o único defeito que lhe consigo apontar resida no facto de estar obrigado a utilizar apenas BB’s da G&G, ou eventualmente da Madbull, já que todas as outras marcas que experimentei não chegaram a sair da câmara de hop-up, ou quanto muito saíram acabando por cair 5 metros à frente da arma.

alvos

Todos os outros têm prestações muito parecidas, mas surpreendeu-me o facto de o Systema, que nesta análise foi o cano de diâmetro mais largo utilizado, ter atingido excelente resultados no eixo vertical, algo que denota uma qualidade superior em relação à concorrência.

img_1540

 

Potência média e variação

O grande vencedor é o Madbull 6,01 que, sendo o cano mais estreito do conjunto, brindou-nos com uma prestação superior que arrumou toda a concorrência, embora os valores dos restantes não tenham andado assim tão díspares entre si.

A variação de FPS é mínima em praticamente todos os modelos, dentro daquilo que eu pessoalmente considero aceitável (10 FPS), com exceção do SRC, um cano que eu tinha em muito boa conta antes deste teste, mas que ainda assim é o mais barato de todos.

img_1541

Conclusão

Fazendo o cálculo simples entre os rankings, chegamos à conclusão de que o vencedor deste comparativo é o apertado Madbull 6.01, cano que infelizmente apenas recomendo a um utilizador mais preocupado com a sua arma, já que este carece de uma maior manutenção e não esquecendo as BB específicas, que nem sempre estão disponíveis.

pontos

Todos os outros são relativamente parecidos entre si, e mesmo o último classificado, o SRC 6.03, acaba por ter a vantagem de um custo de aquisição menor.

Tirem as vossas conclusões, mas lembrem-se sempre que é de extrema importância ter hidráulicos de qualidade superior, sob pena não obter os resultados pretendidos na aquisição de um cano de precisão por falta de consistência de FPS.

Anúncios