Por Telmo Fonseca (Jornalista Visual)

Como efetuar corretamente um shimming a uma réplica? Para que serve? Quem está habilitado a fazê-lo? Neste artigo respondemos a estas e muitas outras questões.

Um dos temas mais simples, mas que sobre o qual têm sido criados mais “tabus” é precisamente o shimming, que mais não é que a correta afinação das gears no seu eixo vertical, não só em relação à gearbox, mas tabém entre si. Um shimming bem feito garante o correto funcionamento de todo o sistema mecânico da réplica, reduz o ruído em funcionamento e aumenta a sua longevidade.

grease

Infelizmente, praticamente nenhuma arma de Airsoft à venda no mercado traz um setup correto de origem, daí que será sempre indicado verificar e eventualmente corrigir o problema.

A instalação ou o simples desgaste dos bushings também implica um shimming de raiz. Não é um trabalho muito difícil de fazer, mas um principiante levará certamente mais tempo a conseguir terminá-lo. Os pressupostos são extremamente básicos, e o que não faltam são métodos corretos de o fazer, daí que o texto que se segue é apenas representativo daquilo que tem funcionado para o autor.

Um bom shimming faz com que todos os componentes rodem livremente, sem folgas desnecessárias. Ao criarem alturas milimétricas, alinham as gears entre si, para um melhor encaixe. Os shims atuam ainda como uma espécie de rolamento, pelo que nunca se deve instalar gears sem usar shims.

shimms-2

Para começar, é necessário uma gearbox despida de todos os seus componentes, bushings já colocados, gears em condições e alguma variedade de shims. Estes últimos, são bastante baratos, e não existe uma diferença representativa de qualidade nas várias marcas disponíveis.

Ao ter a gearbox totalmente despida, exceto dos elementos que referi, é bastante mais fácil de trabalhar e testar o shimming, já que a mesma tem de ser aberta e fechada repetidas vezes, e é desnecessário perder tempo com a instalação de outros componentes que regra geral estão sobre pressão, como por exemplo as molas. Retirar todos os lubrificantes e sujidade lá dentro também ajuda, uma vez que, se existirem elementos a “raspar” uns nos outros, é mais fácil de as detectar a partir do som característico que produzem.

bushings-etc

Colar previamente os bushings à gearbox com super cola também ajuda, para não andarem sempre a cair. Os bushings são uma peça de desgaste, e deve ser trocada sempre que necessário. A razão de ser de eles existirem tem que ver com o facto de estarem sujeitos a desgaste, e sempre sai mais barato substituí-los que a uma gearbox ou mesmo umas gears.

Depois de abrir a gearbox, deve-se retirar todos os seus componentes e limpar tudo – Para quem tiver alguma prática na mecânica de AEG’s não é essencial retirar o gatilho, a cut-off lever ou os cabos, já que estes elementos não atrapalham muito. Deve-se limpar copiosamente todos os componentes, mesmos nos espaços mais recônditos. Sugiro a utilização um cotonete para limpar entre os dentes das gears.

Após esta limpeza, e se necessário, deve-se substituir os bushings. Em alguns modelos de AEG’s com menos qualidade de construção torna-se complexo encontrar disponíveis no mercado bushings compatíveis, já que as medidas nem sempre são as corretas, mas regra geral variam entre os 6 e os 8 mm. Em caso de incompatibilidade, nunca se deve forçar a entrada dos bushings em demasia, sob pena de danificar a gearbox. Se eles não entrarem com uma pequena e seca martelada (utilizando uma punção própria), deve-se optar pela medida logo abaixo, garantindo que não ficam demasiado largos. Usa-se ainda uma minúscula gota de cola para os manter no lugar, tendo o cuidado de não deixar quaisquer detritos.

A primeira gear a ser instalada é a Spur gear (ver infografia).

infografia

  • 1) BEVEL GEAR
    “Recolhe” a alta rotação do motor, que está alinhado verticalmente em relação à gearbox
  • 2) SPUR GEAR
    Desmultiplica a velocidade, convertendo-a em força
  • 3) SECTOR GEAR
    Puxa o pistão que provoca o disparo da BB. Também controla o tappet plate e a entrada de BB’s na câmara, e possui ainda uma saliência responsável por interromper o circuito eléctrico em modo de “single shot”

Peguem no shim mais fino que tiverem em frente (normalmente um de 0,3 mm) e instalar no eixo inferior da gear. Encaixar a gear no bushing, e rodá-la verificando se não toca na gearbox. Rodá-la várias vezes, tentando entortá-la, pressioná-la etc etc para ver se não sai do lugar, se não faz nenhum barulho, se roda livremente, e eventualmente acrescentar outro shim, mas apenas se for absolutamente necessário.

shimms

Seguidamente, acrescentem um ou dois shims no topo, fechem a gearbox, e pressionando firmemente (ou aparafusando, se necessário), metam quer o dedo quer uma chave de fendas por dentro de uma qualquer abertura e verificar se roda livremente. Se não rodar, voltem a abrir e retirem shims até ela ficar livre. O objetivo é que ela fique presa, mas com a menor folga possível, de forma a rodar livremente.

Com a gearbox fechada e a spur gear no sítio, empurrem a partir do exterior da gearbox a gear por fora com uma chave ou outro objeto pontiagudo, de um lado e de outro, para verificarem a folga.

encaixe-gear

Outra técnica mais rápida consiste em colocar apenas o shim por baixo, fechar a gearbox, e então empurrar a gear por fora repetidamente, observando o outro eixo, que ainda não tem shims. Com isto, consegue-se ver a folga que ela tem, e calcular previamente a quantidade de shims que vai ser necessário acrescentar. Deve-se ter ainda em conta o facto de por vezes, quando se reabre a gearbox, alguns shims ficarem colados aos bushings. Tenham cuidado para não os perder, retirando-os do bushing e recolocando-os na gear.

Apenas depois da spur gear estar perfeita, tratamos da sector. Uma vez mais, acrescentem um shim de 0,3mm por baixo, e colocá-la no bushing correspondente. Muito importante agora, é verificar se o encaixe na spur é perfeito. Deve ter os dentes enfiados na outra o mais fundo possível, mas sem as faces se tocarem. Rodá-las, e uma vez mais verificar se existem ruídos, sentir se estão a raspar, etc etc. Caso existam, é necessário acrescentar mais shims até atingir a altura correta, mas em menor número possível. Reforço que os dentes das duas gears devem ter a maior área de contato possível entre elas. Deve-se seguir os mesmos procedimentos da spur para acrescentar shims por cima. Não me canso de referir que deve ser possível rodar as duas gears sem o mínimo de esforço, mas ao mesmo tempo não devem existir folgas desnecessárias.

encaixe-gears

Para finalizar, repete-se o procedimento para a bevel gear, tendo muita atenção para tudo o que foi referido anteriormente. Quando se conseguir uma rotação totalmente livre, sem que as gears estejam soltas, significa que o shimming está pronto. Com alguma experiência, o processo não demora mais de 5 minutos.

Estando o setup concluído, é chegada a altura de retirar as gears da gearbox, tendo muito cuidado para não perder os shims do lugar onde foram instalados – se isso acontecer, ou tiverem dúvidas, o melhor a fazer é repetir todo o processo desde o princípio – e proceder então à montagem de todos os componentes assentes por baixo delas. Uma forma prática de colocar de lado as gears sem que os shimms caiam é lubrificar imediatamente o eixo de cada gear com massa lubrificante própria, mantendo assim tudo “preso” no sítio certo.

grease-gear

Anúncios